Sete erros mais comuns na hora de reformar

Por: Laerte Rabelo – Engenheiro Civil

Muita gente me questiona quais são os erros mais recorrentes no momento de reformar um imóvel. Com base no que tenho vivenciado separei sete itens, que em minha opinião são os que mais causam transtornos no momento da reforma. Confira a lista.

1 – Obra sem projeto e Planejamento

Esse sem dúvidas é um dos erros mais praticados por quem vai reformar, a maior parte das pessoas age no impulso, e iniciam a obra sem ter uma definição clara de tudo que deverá ser feito. A postura do “vai levando” impera, principalmente em obras residenciais, porém ela é muito perigosa, e pode trazer consequências desastrosas, como ter que refazer tudo que foi feito, e em casos mais extremos estourar o orçamento da obra e você acabar não conseguindo concluir os trabalhos.

2 – Falta de Acompanhamento de um Profissional capacitado

A contratação de um profissional capacitado é essencial, até mesmo nas reformas de pequeno porte. Após entender quais são as intervenções que você pretende fazer no imóvel, ele vai te alertar sobre todas as consequências que essas mudanças podem trazer. Elaborar um projeto e um planejamento, analisar se o valor disponível para investir é suficiente para a conclusão da reforma, te orientar na escolha dos materiais e a depender do acordo que seja feito ele também irá acompanhar e fiscalizar a sua obra.

3 – Sobrecarga na Estrutura

Esse erro, assim como o primeiro também figura entre os mais cometidos. É importante entender que se a estrutura de uma casa foi feita para suportar apenas um andar, ela não pode receber a carga de um novo pavimento, a não ser que um reforço estrutural seja previsto. Outros tipos de sobrecargas que também merecem atenção são as do telhado (muitas vezes o morador decide substituir telhas leves, como as de fibrocimento por modelos mais pesados, como as de cerâmica e concreto) e reservatório (em tempos de crise hídrica se tornou comum as pessoas substituírem as caixas d’águas existentes por modelos maiores), a sua estrutura pode não suportar as cargas adicionais e isso pode gerar trincas, rachaduras e em casos mais graves pode causar o desabamento do imóvel, então fique ligado.

4 – Passagem das tubulações de água e esgoto

O banheiro e a cozinha aparecem entre os cômodos da casa que as pessoas mais desejam mudar, porém, quando a reforma inclui a relocação de vaso sanitário, ralos e pias, intervenções nos pontos de esgoto se fazem necessárias. O problema nesse tipo de alteração é que, na maioria das vezes os “aventureiros de plantão” só resolvem pensar no novo caminhamento da rede no momento da execução do serviço, quando o “quebra-quebra” já está a todo vapor, e só então descobrem que o novo local pensando para o vaso sanitário, por exemplo, é inviável ou vai acarretar em alterações que não são muito bem vindas como o rebaixamento excessivo do forro ou a criação de enchimentos na parede para que se possa passar com a tubulação.

5 – Previsão de Pontos para TV e instalações especiais.

Esse item é o campeão quando o quesito analisado é “Zona de Esquecimento”, as pessoas se preocupam com a instalação de pontos de tomadas e interruptores e simplesmente ignoram a infraestrutura para a passagem dos cabos de TV, áudio,  vídeo, telefone, câmeras de segurança, ente outros.  A consequência desse esquecimento é ter que quebrar tudo novamente ou deixar fios e cabos aparentes, solução que esteticamente fica muito ruim.

6 – Erros na escolha dos acabamentos

Na hora de comprar, pisos, revestimentos, bancadas e demais elementos de acabamento, as pessoas caem no erro de considerar apenas o preço ou a estética do material. Não levam em consideração fatores essenciais como a indicação de uso feita pelo fabricante, reputação da marca e a durabilidade do produto.

7 – Tamanho dos Móveis

A compra dos móveis é o momento mais esperado da reforma, mas muito cuidado na hora de escolher elementos como sofá, estantes, armários etc. No calor do momento, ao se deparar com a peça dos sonhos, as pessoas acabam ignorando o tamanho do móvel e na hora de montar os ambientes acabam percebendo que o sofá é grande demais para sala, que a mesa não coube na cozinha, e por ai vai. Em casos mais extremos o móvel nem passa na porta, o que acaba gerando gastos inesperados com içamento (caso você more em um prédio). Então seja racional no momento da escolha dos móveis e se possível contrate um design de interiores ou um arquiteto para te auxiliar nessa missão.

Laerte Rabelo

Laerte Rabelo – ConceitoR

Comentarios do Facebook

ESCREVA UM COMENTARIO.